domingo, 4 de maio de 2014

Linha de raciocínio

Eu fundo a cuca dos homens. Se eles se encantam com minhas qualidades por serem heteros, será que se tiverem um contato íntimo comigo, podem ser considerados gays? Eu era uma menina linda que os enganou? Se eu conto, não querem nada; se não conto, ficam com raiva por não ter contado.

A outra pergunta que fica é: o que é mulher? É toda uma construção psicossociovisual ou é uma genitália encapsulada num ser humano? Não sei responder. Aos que querem buracos, fiquem com seus buracos. Eu fico com os cérebros.

Um comentário:

Tales Gubes disse...

Eu nunca gostei dessa história de orientação sexual definir identidade... é tão estranho ser definido pelo corpo do outro.

Como sou otimista, acredito que há pessoas capazes de amar independentemente de qual genitália está ali. Pessoas que usam os cérebros para ter prazer. :)