segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Enquanto isso, no reino da ignorância...

Pois bem, em minha pequena cruzada iniciada em busca de histórias do funcionalismo público T, resolvi buscar os meus colegas da área de regulação num de nossos grupos no Facebook para uma abordagem, quem sabe alguém conheça alguém, eu não devo ser a única funcionária pública nessa situação. E então fiz o pedido, gentilmente. Eis o que recebo como resposta:


Desculpem o palavreado, mas é "de cair o cu da bunda", não é? Não contente, o energúmeno ainda me posta isso no grupo, numa indireta bem direta:



Fiz rasuras nos prints pois sou educada e não é do interesse de ninguém expôr pessoas ao ridículo.

Agora vamos pensar um pouco: o que pensar quando se vê pessoas que, à primeira vista, por serem detentoras de um cargo público conseguido arduamente por meio de um concurso que vem ficando cada vez mais difícil e seletivo, deveriam ser um pouco mais esclarecidas e tolerantes, agirem como verdadeiros ogros e badalhocas?

Mais à frente contarei o que tive de fazer para conseguir o mínimo de respeito institucional. Mas por ora, dedico a este cidadão, que por uma triste coincidência trabalha no mesmo órgão que eu, esta bela música.

Vídeo da noite: Vanessa da Mata - Baú

Quem sabe se sensibiliza? Quem sabe se transformará?
Vamos seguindo acordando cedo! Você só reclama e não age!
Você fica dormindo à tarde, e tudo vai dando nos nervos!
Não corre atrás das suas coisas! Vive aqui choramingando!
Todos já foram embora! Você só sabe reclamar!

Um comentário:

FabricioViana.com disse...

É realmente lamentável... :-(